Sociedade civil católica, destinada à difusão da Cultura Ocidental e à atuação política em defesa da família, em observância à Doutrina Social da Igreja.

Vida de São Francisco Caracciolo

Francesco Paoli, Enciclopédia Católica

Co-fundador, junto com Giovanni Agostino Adorno, da Congregação Regular de Sacristãos Menores. Nasceu em Villa Santa Maria, Abrusso (Itália), em 13 de outubro 1563 e morreu em Agnone (mesmo país), em 4 de junho de 1608. Ao nascer, recebeu o nome de Ascânio e, desde pequeno, sua delicadeza e boa educação eram evidentes. Tendo sido curado da lepra, aos vinte e dois anos consagrou-se à vida eclesiástica, distribuiu seus bens entre os pobres e foi a Nápoles em 1585 para estudar teologia. Foi ordenado sacerdote em 1587 e juntou-se à Congregação dos Brancos da Justiça, cujo objetivo era o de ajudar criminosos condenados a morrer na graça de Deus. Em uma carta de Giovanni Agostino Adorno a outro Ascânio Caracciolo, o primeiro implorou a ele que participasse da fundação de uma nova instituição religiosa. Tendo sido entregue por engano a nosso santo, ele viu nessa circunstância um sinal do que a Vontade Divina era para ele (1588). Então, ajudou a moldar as regras da nova congregação, que foram aprovadas por Sisto V em 1º de Julho de 1588 e confirmadas por Gregório XIV em 18 de fevereiro de 1591 e por Clemente VIII em junho 1592. 

A congregação é contemplativa e ativa ao mesmo tempo. Aos três votos habituais, foi acrescentado um quarto, consistindo em que seus membros não deveriam aspirar a dignidades eclesiásticas fora da ordem nem procurá-las dentro dela. A Adoração do Santíssimo Sacramento é mantida pela rotação e a mortificação é praticada continuamente. Apesar de sua recusa, Ascânio – que passara a se chamar Francisco – foi eleito superior geral da ordem, na primeira casa da Congregação em Nápoles, chamada Santa Maria Maggiore ou Pietrasanta, e doada por Sisto V. Na Espanha, em 1599, São Francisco Caracciolo fundou a casa do Espírito Santo em Madri; em 1601, a Nossa Senhora da Anunciação em Valladolid e a São José em Alcala de Henares.  

São Francisco Caracciolo foi o autor de um valioso trabalho intitulado As sete estações da Paixão de Nosso Senhor Jesus Cristo”, que foi impresso em Roma em 1710. Como São Tomás de Aquino, que aliás era seu parente pelo lado materno, sua pureza era angélica. O Papa Paulo V queria conferir-lhe um bispado, mas ele rejeitou firmemente. Seu lema mais frequente foi “O zelo por tua casa me consome”. Quando foi convidado a transformar a casa de Agnone em uma universidade para sua congregação, adoeceu. Morreu ali mesmo, na vigília de Corpus Christi. São Francisco Caracciolo foi beatificado pelo Papa Clemente XIV e canonizado pelo Papa Pio VII em 24 de maio de 1807. Em 1838, foi escolhido como patrono da cidade de Nápoles, onde seu corpo descansa. 


Fonte: Paoli, Francesco. “St. Francis Caracciolo.” The Catholic Encyclopedia. Vol. 6. New York: Robert Appleton Company, 1909. 4 Jun. 2018 <http://www.newadvent.org/cathen/06218a.htm>.

Traduzido por Gustavo Quaranta a partir da versão espanhola disponível em <http://ec.aciprensa.com/wiki/San_Francisco_Caracciolo>.

[Segue abaixo oração ao santo por ocasião de sua festa, a 4 de junho, extraída do Missale Romanum, 1943]

Ó Deus, que glorificastes o bem-aventurado Francisco, fundador de uma nova Ordem religiosa, pelo zelo da oração e pelo amor da penitência, concedei aos vossos servos a graça de aproveitarem de tal modo os seus exemplos, que, orando sempre e reduzindo seus corpos à escravidão, mereçam chegar à glória celeste. Por Nosso Senhor Jesus Cristo. Deus, qui beátum Franciscum, novi órdinis institutórem, orándi stúdio, et pœniténtiæ amóre decorásti: da fámulis tuis in ejus imitatióne ita profícere: ut, semper orántes et corpus in servitútem redigéntes, ad cæléstem glóriam pervenire mereántur. Per Dóminum Nostrum Jesum Christum.
Boletim informativo do IJF
Receba, gratuitamente, no seu e-mail, nossas atualizações semanais.
Você pode cancelar sua inscrição a qualquer momento.