Festa de Corpus Christi

Procissão de Corpus Christi, óleo sobre tela de Carl Emil Doepler.

Francis Mershman, Enciclopédia Católica

(Festa do Corpo de Cristo) 

Esta festa se celebra na Igreja Latina na quinta-feira seguinte ao Domingo da Trindade para comemorar solenemente a instituição da Sagrada Eucaristia. 

Na Quinta-feira Santa, que comemora este grande evento, faz-se menção como Natalis Calicis (Nascimento do Cálice) no calendário de Polêmio (488) para o dia 24 de março, sendo o dia 25 de março considerado em alguns lugares como o dia da morte de Cristo. Este dia, sem embargo, estava na Semana Santa, um tempo de tristeza, durante o qual se espera que as mentes dos fiéis se ocupem com pensamentos da Paixão do Senhor. Mais ainda, tantos outros atos tinham lugar neste dia que o acontecimento principal quase se perdia de vista. Isto se mencionava como a razão principal para introdução da nova festa, na Bula "Transiturus".

O instrumento de que se valeu a Divina Providência, foi Santa Juliana de Monte Cornilllon, na Bélgica. Ela nasceu em 1193 em Retines, próximo a Liège. Órfã desde muito cedo, foi educada pelas monjas agostinianas de monte Cornillon . Ali, depois de algum tempo, fez sua profissão religiosa e mais tarde chegou a ser superiora. Intrigas de diversas classes a conduziram em várias ocasiões para fora do convento. Morreu em 5 de abril de 1258 na casa das monjas cistercienses em Fosses, e foi sepultada em Villiers.  

Juliana, desde sua tenra juventude, teve uma grande veneração pelo Santíssimo Sacramento, e sempre desejou uma festa especial em sua honra. Afirmava-se que foi incrementado esse desejo por uma visão da Igreja sob a aparência de uma lua cheia que tinha um ponto negro, o qual significava ausência de tal solenidade. Ela fez conhecer suas ideias a Robert de Thirete, então Bispo de Liège, ao erudito dominicano Hugo, mais tarde tarde Cardeal legado nos Países baixos, e a Jacques Pantaléon, então Arquidiácono de Liège, depois Bispo de Verdum, Patriarca de Jerusalém, e finalmente Papa Urbano IV. O Bispo Robert ficou favoravelmente impressionado e, posto que os bispos já tinham o direito de ordenar festas para suas dioceses, convocou um sínodo em 1246 e ordenou que a celebração se realizasse no ano seguinte, também que um monge chamado João  escrevesse o Ofício para a ocasião. O decreto conserva-se em Binterim (Denkwürdigkeiten, V, 1, 276), junto com partes do ofício.

O Bispo Robert não viveu para ver a execução de sua ordem, pois morreu em 16 de outubro de 1246; mas a festa foi celebrada pela primeira vez pelos cônegos de San Martin de Liège. Jacques Pantaléon tornou-se Papa em 29 de agosto de 1261. A ermitã Eva, com quem Juliana havia passado algum tempo, e que também era uma fervorosa adoradora da Sagrada Eucaristia então recomendou encarecidamente a Henrique de Guelders, Bispo de Liège, que solicitasse ao papa que estendesse a celebração ao mundo inteiro. Urbano IV, sempre um admirador da festividade, publicou a bula "Transiturus" (8 de setembro de 1264), na qual, depois de haver exaltado o amor de Nosso Senhor como se expressava na Sagrada Eucaristia, ordenou a celebração anual de Corpus Christi na quinta-feira seguinte ao Domingo da Trindade, concedendo ao mesmo tempo muitas indulgências aos fiéis por sua assistência à missa e ao Ofício. Este Ofício, composto por solicitação do Papa pelo Doutor Angélico Santo Tomás de Aquino, é um dos mais belos no breviário Romano e tem sido admirado mesmo pelos protestantes.  

A morte do Papa Urbano VI (2 de outubro de 1264), pouco depois da publicação do decreto, obstruiu um pouco a difusão da festividade . Clemente V tomou de novo o assunto em suas mãos, e no Concilio Geral de Viena (1311), uma vez mais ordenou a adoção da festa. Publicou um decreto que incorporava o de Urbano IV. João XXII, sucessor de Clemente V, recomendou com insistência sua observância. 

Nenhum decreto fala da procissão teofórica como uma característica da celebração. Essa procissão, já celebrada em alguns lugares, foi dotada com indulgências pelos Papas Martinho V e Eugênio IV. 

A festa foi aceita em 1306 em Colônia; Worms a adotou 1315; Estrasburgo em 1316. Na Inglaterra foi introduzida a partir da Bélgica entre 1320 e 1325. Nos Estados Unidos e alguns outros países a solenidade se celebra no domingo seguinte ao da Trindade. Na igreja grega a festa de Corpus Christi é conhecida nos calendários dos sírios, armênios, coptas, melquitas, e nos Rutênios da Galícia, Calábria, e Sicília.  

________
Bibliografia: GUÉRANGER, The Liturgical Year (tr. Worcester, s.d.) ; BUTLER, Feast and Fasts; KELLNER, Heortologie (2nd ed., Freiburg, 1906); Der Katholic (Aug., 1898), 151; BÄUMER Gesch. des Breviers (Freiburg, 1895).


Fonte: Mershman, Francis. "Feast of Corpus Christi." The Catholic Encyclopedia. Vol. 4. New York: Robert Appleton Company, 1908. 31 May 2018 <http://www.newadvent.org/cathen/04390b.htm>.

Traduzido por Leonardo Brum a partir da versão espanhola disponível em <http://ec.aciprensa.com/wiki/Fiesta_de_Corpus_Christi>.


[Segue abaixo texto com o próprio da Missa da Festa de Corpus Christi.]