Sociedade civil católica, destinada à difusão da Cultura Ocidental e à atuação política em defesa da família, em observância à Doutrina Social da Igreja.

Vida de São Jerônimo Emiliano

Francis Mershman, Enciclopédia Católica

Fundador da Ordem de Somasca; nasceu em Veneza em 1481 e morreu em Somasca, em 8 de fevereiro de 1537; sua festa é comemorada em 20 de julho; filho de Angelo Emiliani (popularmente chamado Miani) e Eleonore Mauroceni, juntou-se ao exército e em 1508 defendeu Castelnuovo contra a Liga de Cambray. Preso e libertado milagrosamente, fez uma peregrinação ao Santuário de Nossa Senhora de Treviso em cumprimento de um voto. Mais tarde foi nomeado magistrado-chefe de Castelnuovo; depois de pouco tempo, voltou a Veneza para dirigir a educação de seus sobrinhos. Todo o seu tempo livre foi dedicado ao estudo da teologia e obras de caridade. Após sua ordenação como sacerdote em 1518, hospitais e casas dos pobres eram seus destinos favoritos. No ano da praga e da fome (1528), ele parecia estar em toda parte, e mostrava grande zelo, principalmente com os órfãos, cujo número havia crescido bastante. Ele alugou uma casa para eles perto da igreja de Santa Rosa e, com a ajuda de leigos piedosos, atendeu às suas necessidades. O hospital de incuráveis, fundado por São Caetano, também foi colocado sob seus cuidados. Em 1531 ele foi para Verona e induziu os cidadãos a construir um hospital; em Brescia construiu um orfanato e, em Bergamo, um para meninos e outro para meninas. Aqui ele também fundou a primeira casa para mulheres cuja honra foi manchada e queriam fazer penitência. Com dois padres, Alexandre Besuzio e Agostinho Bariso, agora unidos às suas obras de caridade, ele fundou uma sociedade religiosa em 1532, instalando a sede em Somasca, uma vila remota, localizada entre Milão e Bérgamo. Na regra, Jerônimo determinou como principal trabalho na comunidade, o cuidado dos órfãos, pobres e doentes, e ordenou que alojamento, comida e roupas levassem a marca da pobreza religiosa. Jerônimo era como um mártir por seu zelo, adoecendo em Bergamo, morreu em Somasca. Foi beatificado por Bento XIV em 1747 e canonizado por Clemente XIII em 1767. Um ofício e uma missa em sua homenagem foram aprovados oito anos depois. Sua biografia foi escrita por Scipio Albani em 1600 e depois por Andreas Stella em 1605. A melhor delas foi escrita por Augusto Tortora em Milão em 1620.

Após a morte de Jerônimo, sua comunidade estava prestes a se dissolver, mas foi mantida unida por Gambarana, que foi o superior escolhido. Ele obteve sua aprovação em 1540 por Paulo III. Em 1547, seus membros procuraram em vão se unir à Companhia de Jesus; então, entre 1547 e 1555, eles se juntaram aos teatinos. Pio IV, em 1563, aprovou a instituição, e São Pio V elevou-a à dignidade de uma ordem religiosa, de acordo com a Regra de Santo Agostinho, com votos solenes, privilégios dos mendicantes e isenções pertinentes. Em 1569, seus seis primeiros membros fizeram uma profissão, e Gambarana foi seu primeiro superior geral. Um grande favor foi demonstrado pela ordem de São Carlos Borromeu, que lhes concedeu a igreja de S. Mayeul em Pavia, de onde a ordem leva seu nome oficial: “Clérigos regulares da Congregação de S. Mayeul em Somasca”. Mais tarde, a educação da juventude foi adicionada ao programa da ordem, e suas escolas em Roma e Pavia eram muito renomadas. Ela se espalhou por toda a Áustria e Suíça e, antes da grande Revolução, tinha 119 casas nas quatro províncias de Roma, Lombardia, Veneza e França. Atualmente [em 1910], a ordem tem dez casas na Itália, duas das quais em Roma. O seu superior geral reside em Roma, em San Girolamo della Carita.

Fonte: Mershman, Francis. “St. Jerome Emiliani.” The Catholic Encyclopedia. Vol. 8. New York: Robert Appleton Company, 1910. 19 Jul. 2020 <http://www.newadvent.org/cathen/08343a.htm>.

Traduzido por Leonardo Brum a partir da versão espanhola, disponível em: <https://ec.aciprensa.com/wiki/San_Jer%C3%B3nimo_Emiliani>.

[Segue abaixo oração ao santo, por ocasião de sua festa, a 20 de julho, extraída do Missale Romanum, Ed. Vozes, 1943]

OREMOS

Ó Deus, Pai das misericórdias, pelos merecimentos e intercessão do bem-aventurado Jerônimo, que destes aos orfãozinhos por sustentáculo e pai, concedei-nos a graça de conservarmos fielmente o espírito de adoção pelo qual nos chamamos vossos filhos e realmente o somos. Por Nosso Senhor Jesus Cristo.

OREMUS

Deus, misericordiárum pater, per mérita et intercessiónem beáti Hierónymi, quem órphanis adjutórem et patrem esse voluísti: concéde, ut spíritum adoptiónis, quo fílii tui nominámur et sumus, fidéliter custodiámus. Per Dóminum Nostrum Jesum Christum.

Boletim informativo do IJF
Receba, gratuitamente, no seu e-mail, nossas atualizações semanais.
Você pode cancelar sua inscrição a qualquer momento.