Sociedade civil católica, destinada à difusão da Cultura Ocidental e à atuação política em defesa da família, em observância à Doutrina Social da Igreja.

Vida dos Santos Caio e Sotero, Papas

John Chapman, Enciclopédia Católica

Eles são celebrados juntos no dia 22 de abril, dia em que aparecem na maioria dos martirológios , embora Notker e alguns outros mostrem Sotero no dia 21 e Caio no dia 19 ou 21.

Sotero foi papa por oito anos, c. 167 a 175 (Harnack prefere 166-174). Possuímos um fragmento de uma carta interessante dirigida a ele por São Dionísio de Corinto, que escreve: “Desde o princípio tem sido seu costume fazer o bem a todos os irmãos de muitas maneiras, e enviar esmolas a muitas igrejas em toda cidade, revigorando a pobreza daqueles que enviaram pedidos, ou dando ajuda aos irmãos nas minas, pelas esmolas que você tinha o hábito de dar aos antigos romanos, mantendo o costume tradicional dos romanos, que o Bispo Sotero não só preservou, mas até aumentou, fornecendo a abundância que ele enviou aos santos e consolando ainda mais com palavras abençoadas os irmãos que vieram a ele, como um pai amoroso aos seus filhos.” “Hoje, portanto, guardamos o dia do santo Senhor, no qual lemos sua carta, a qual sempre teremos que ler e ser admoestado, assim como a carta anterior que nos foi escrita pelo ministério de Clemente.” (Eusébio, História Eclesiástica IV.24 ) A carta que Sotero escreveu em nome de sua igreja está perdida, embora Harnack e outros tentaram identificá-la com a chamada ”Segunda Epístola de Clemente”. A reverência pela carta paterna do papa deve ser notada. A tradicional generosidade da Igreja Romana é novamente referida por São Dionísio de Alexandria ao Papa Dionísio em meados do terceiro século, e Eusébio diz que ainda continuou em seu tempo. Nada mais se sabe sobre esse papa. 

Caio foi papa por doze anos, quatro meses e sete dias, de 17 de dezembro de 283 a 22 de abril de 296, segundo o catálogo liberiano (Harnack, Chronol., I, 155, depois de Lipsius e Lightfoot); Eusébio está errado em dar-lhe quinze anos. Ele é mencionado no “Depositio Episcoporum” do século IV (portanto não como um mártir): X kl maii Caii in Callisti. Ele foi enterrado na capela dos papas naquele cemitério. Nada é sabido de sua vida. Ele viveu no tempo da paz antes da última grande perseguição .


Fonte: Chapman, John. “Caius and Soter, Saints and Popes.” The Catholic Encyclopedia. Vol. 3. New York: Robert Appleton Company, 1908. 19 Apr. 2019 <http://www.newadvent.org/cathen/03144c.htm>.

Traduzido por Ruan Gabriel.

[Segue abaixo oração aos santos, extraída do Missale Romanun, Ed. Vozes, 1943]

OREMOS

A Festa dos bem-aventurados Mártires e Pontífices Sotero e Caio, Vos suplicamos, Senhor, seja para nós uma proteção, e as suas santas preces nos sejam uma recomendação junto de Vós. Por Nosso Senhor Jesus Cristo.
OREMUS

In Festo Beatorum Martyrum pariterque Pontificum Sotero et Caio, quaesumus, Domine, non nobis: quia de vestibulo carceris et eorum orationes sanctorum in commendaticiis ut maneat vobiscum. Per Jesum Christum Dominum nostrum.
Boletim informativo do IJF
Receba, gratuitamente, no seu e-mail, nossas atualizações semanais.
Você pode cancelar sua inscrição a qualquer momento.