Sociedade civil católica, destinada à difusão da Cultura Ocidental e à atuação política em defesa da família, em observância à Doutrina Social da Igreja.

Vida de São José de Calasanz

Francis Mershman, Enciclopédia Católica

Chamado na vida religiosa “(José) da Madre de Deus”, fundador dos Piaristas , nascido em 11 de setembro de 1556, no Castelo de Calasanz, em Peralta de la Sal, Aragão; falecido em 25 de agosto de 1648 em Roma , festa em 27 de agosto. Seus pais, Dom Pedro Calasanz e Dona María Gastonia, deram a José, o mais jovem de sete filhos, uma boa educação em casa e na escola de Peralta. Depois de seus estudos clássicos de humanidades em Estadilla, estudou filosofia e direito em Lérida e recebeu o grau de Doutor em Leis, e completou com honras seus estudos teológicos em Valência e Alcalá de Henares. Com sua mãe e irmãos já mortos, Dom Pedro desejava que José se casasse para perpetuar a família. Deus interveio através de uma enfermidade, em 1582, que levou rapidamente José à beira da tumba. Depois de sua recuperação foi ordenado sacerdote, em 17 de dezembro de 1583, por Hugo Ambrosio de Moncada, bispo de Urgel. José começou seu trabalho como sacerdote na diocese de Albarracín onde o bispo De La Figuera o nomeou seu teólogo e professor, examinador do sínodo e procurador e, quando o bispo foi transferido a Lérida, seu teólogo o seguiu à nova diocese. Em 1586, De La Figueira foi enviado como visitador apostólico à Abadia de Montserrat e José o acompanhou como secretário. O bispo morreu no ano seguinte e José partiu, mas foi urgentemente solicitado para que permanecesse. Regressou apenas com urgência a Calasanz para estar presente na morte de seu pai. Então foi chamado por seu bispo de Urgel para atuar como Vigário Geral no distrito de Tremp. Em 1592 embarcou para Roma, onde encontrou um protetor no cardeal Marco Antonio Colonna, que o elegeu como seu teólogo e instrutor de seu sobrinho. Roma oferecia um campo esplêndido para os trabalhos de caridade, sobretudo para instrução de meninos abandonados e sem casa nem lar, muito dos quais haviam perdido seus pais. José congregou uma confraternidade de Doutrina Cristã, recolheu os rapazes e moças das ruas e os levou à escola. Os professores, pobremente pagos, negaram-se a aceitar trabalho adicional sem remuneração. O pároco de Santa Dorotéia, Antonio Brendani, ofereceu a ele duas habitações e prometeu ajudá-lo no ensinamento e, quando outros dois sacerdotes prometeram uma ajuda similar, José, em novembro de 1597, abriu a primeira escola pública gratuita da Europa. O papa Clemente VIII deu uma contribuição anual e muitos outros compartilharam a boa obra, para que em pouco tempo José tivesse aproximadamente 1000 meninos sob seu encargo. Em 1602 alugou uma casa em San Andrés del Valle e começou uma vida de comunidade com seus ajudantes que iniciou a fundação da Ordem das Escolas Pias. Muita inveja e oposição se levantaram contra ele e seu novo instituto, mas todas foram superadas em tempo. Em 1612 a escola foi transferida ao Palácio Torres, próximo a San Pantaleón. Neste lugar José passou os anos  restantes de sua vida dedicado a sua vocação. Viveu e morreu como um fiel filho da Igreja, o verdadeiro amigo dos meninos desamparados. Seu corpo descansa em San Pantaleón. Foi solenemente beatificado em 7 de agosto de 1748, e canonizado por Clemente XIII, em 16 de julho de 1767.


Fonte: Mershman, Francis. “St. Joseph Calasanctius.” The Catholic Encyclopedia. Vol. 8. New York: Robert Appleton Company, 1910. 26 Aug. 2018 <http://www.newadvent.org/cathen/08518d.htm>.

Traduzido por Leonardo Brum a partir da versão espanhola disponível em <http://ec.aciprensa.com/wiki/San_Jos%C3%A9_de_Calasanz>.

[Segue abaixo oração ao santo por ocasião de sua festa, a 20 de agosto, extraída do Missale Romanum, 1943.]

OREMOS

Ó Deus, que, por meio de São José, vosso Confessor, Vos dignastes conceder à vossa Igreja uma nova assistência, para formar a juventude na ciência e na piedade, dai-nos, Vo-lo suplicamos, que, a seu exemplo e por sua intercessão, de tal forma procedamos e ensinemos, que obtenhamos as recompensas eternas. Por Nosso Senhor Jesus Cristo.
OREMUS

Deus, qui per Sanctum Joséphum Confessórem tuum, ad edudiéndam spíritu intelligéntiæ ac pietátis juventútem, novum Ecclésiæ tuæ subsídium providére dignátus es: præsta, quæsumus; nos, ejus exémplo et intercessióne, ita fácere et docére, ut præmia consequámur ætérna. Per Dóminum Nostrum Jesum Christum.
Boletim informativo do IJF
Receba, gratuitamente, no seu e-mail, nossas atualizações semanais.
Você pode cancelar sua inscrição a qualquer momento.