Sociedade civil católica, destinada à difusão da Cultura Ocidental e à atuação política em defesa da família, em observância à Doutrina Social da Igreja.

Vida de Santa Teresa de Lisieux

Edith Donovan, Enciclopédia Católica

Santa Teresa de Lisieux (Irmã Teresa do Menino Jesus e da Sagrada Face) carmelita de Lisieux, mais conhecida como a Pequena Flor de Jesus, nasceu em Alençon, França, no dia 2 de janeiro de 1873; morreu em Lisieux em 30 de setembro de 1897. Foi o nono fruto da união de dois pais santos, Luís e Zélia Martin, que desejavam, inicialmente, consagrar suas vidas a Deus no claustro. A vocação que lhes foi negada foi dada às suas filhas, cinco das quais foram religiosas; uma na Ordem da Visitação e quatro no Carmelo de Lisieux. 

Criada em uma atmosfera de fé, na qual todas as virtudes foram cuidadosamente cultivadas, Teresa manifestou sua vocação quando era apenas uma criança. Aos quinze anos, pediu permissão para entrar no convento carmelita, a qual lhe foi negada pelo Superior. Então, partiu para Roma com seu pai, a fim de buscar o consentimento do Papa Leão XIII, que na época estava comemorando seu jubileu. O Sumo Pontífice preferiu deixar a decisão a cargo do superior. Não tardou, porém, para que ele consentisse e, em 9 de abril de 1888, com a idade de quinze anos, Teresa Martin entrou para o convento de Lisieux, onde duas de suas irmãs a precederam. 

A história dos seus onze anos de sua vida religiosa, marcada pelo crescimento das graças significantes e estáveis ​​em santidade, a Irmã Teresa nos conta em sua autobiografia, escrita em obediência aos seus superiores e publicada dois anos após sua morte. Em 1901, a obra foi traduzida para o Inglês e, em 1912, outra tradução, a primeira edição completa da vida da Serva de Deus, contendo a autobiografia e “cartas e conselhos espirituais”, foi publicada. O sucesso foi imediato e transcendeu em muitas edições, propagando a devoção à “pequena” santa, de simplicidade e abandono serviço de Deus e da perfeita realização de pequenas tarefas. 

A popularidade da sua santidade e os muitos milagres realizados por sua intercessão, levaram à introdução da causa de canonização apenas dezessete anos após sua morte em 10 de Junho de 1914. 

[Nota: Santa Teresa do Menino Jesus e da Sagrada Face foi canonizada em 1925 pelo Papa Pio XI e declarada segunda padroeira da França em 1944 – durante a batalha de Normandia – pelo Papa Pio XII.] 


Fonte: Donovan, Edith. “St. Thérèse of Lisieux.” The Catholic Encyclopedia. Vol. 17 (Supplement). New York: The Encyclopedia Press, 1922. 2 Oct. 2018 <http://www.newadvent.org/cathen/17721a.htm>.

Traduzido por Gustavo Quaranta a partir da versão espanhola disponível em <http://ec.aciprensa.com/wiki/Santa_Teresa_de_Lisieux>.

Boletim informativo do IJF
Receba, gratuitamente, no seu e-mail, nossas atualizações semanais.
Você pode cancelar sua inscrição a qualquer momento.