Sociedade civil católica, destinada à difusão da Cultura Ocidental e à atuação política em defesa da família, em observância à Doutrina Social da Igreja.

Imaculada Conceição da Santíssima Virgem

A Imaculada Conceição, por Peter Paul Rubens.

D. Crisóstomo d’Aguiar

Esta festa era conhecida no Oriente já no século VIII, e no seguinte, no Ocidente. No século XV, o Papa Sixto IV, da ordem franciscana, seguindo as tradições dos seus confrades, estendeu-a a toda a Igreja, e Pio IX, em 1854, definiu como artigo de fé a Imaculada Conceição de Maria.

A Igreja aplica a Maria Santíssima o magnífico elogio do Livro da Sabedoria (Epístola). Tudo o que a tradição católica sabe e ensina sobre o privilégio de Nossa Senhora está resumido nas palavras da saudação angélica (Evangelho). Aprendamos quais as virtudes que devemos imitar de Maria (Oração), e peçamos a Deus que nos cure e nos livre as nossas faltas (Pós-comunhão), a fim de, recebendo a virtude própria desta festa, sermos mais dignos de receber a Jesus em nossos corações, quando vier no grande dia de Natal.


[Segue abaixo o texto do próprio da Missa da Festa da Imaculada Conceição de Nossa Senhora]

Boletim informativo do IJF
Receba, gratuitamente, no seu e-mail, nossas atualizações semanais.
Você pode cancelar sua inscrição a qualquer momento.